Depois de ler “A culpa é das estrelas”, resolvi enveredar por outros livros do mesmo autor, John Green. Resolvi conhecer o que está por trás do “O Teorema Katherine”. Seja lá o que for, espero que não seja mais um teorema para as aulas da matemática do amor! 

oteoremakatherine-400x600

  • GREEN, JONH. O Teorema Katherine. (Tradução de Renata Pettengill). Rio de Janeiro: Intrínseca, 2013. 304p. Título original: An abundance of Katherines.

“Quando se trata de garotas (e, no caso de Colin, quase sempre se tratava), todo mundo tem seu tipo. O de Colin Singleton não é físico, mas linguístico: ele gosta de Katherines. E não de Katies, nem Kats, nem Kitties, nem Cathys, nem Rynns, nem Trinas, nem Kays, nem Kates, nem – Deus o livre – Catherines. K-A-T-H-E-R-I-N-E. Já teve dezenove namoradas. Todas chamadas Katherine. E todas elas – cada uma, individualmente falando – terminaram com ele.”

Anúncios