Ouvi falar do filme várias vezes acompanhado de uma advertência: jamais assista esse filme se você estiver de coração partido pelo fim de um relacionamento! Obviamente fiquei pensando: o que há de “errado” com o filme? Será o tipo de filme que você passa semanas pensando nele, chorando pelos cantos?!

Era preciso estar preparada para assisti-lo na hora certa! (…)

Assisti a tantos outros e aquele sempre ficava pendente. Mas o que tinha de errado?! Absolutamente nada; apenas o medo da sensação que ele poderia trazer à tona!

Uma bela madrugada, não pude mais adiar! Apreensiva, assisti a “Eternal Sunshine Of The Spotless Mind“! E de todas as sensações e lembranças que aquele filme poderia me trazer, fui “fisgada” por um trecho em específico. Nele, uma das personagens recita um trecho do poema “Eloisa to Abelard” de Alexander Pope, o mesmo poema que deu origem à produção cinematográfica. Pausei o filme e voltei alguns segundos: precisava ouvir aquilo novamente, quantas vezes fossem necessárias!

O poema precisava ser lido na íntegra!

http://www.poetryfoundation.org/poem/174158

Depois de lido…

… não tinha palavras para descrevê-lo.

P.S.: Não encontrei o trailer oficial ou algum que fosse bem feito para mostrar um pouco da história, mas o link abaixo dá um gostinho do que é o filme.

Anúncios